TEXTOS E PUBLICAÇÕES

1977

POÉTICAS VISUAIS

Walter Zanini e Júlio Plaza

Exposição no MAC-USP

1981

MULTI=MULTI

Marco do Valle

Revista Arte em São Paulo

1982

TRÊS PAULISTAS NO MAM-RJ

Frederico Morais

Exposição no MAM-RJ
 

1983

IMAGINAR O PRESENTE

Ronaldo Britto

Exposição no Gabinete de Arte Raquel Arnaud

1984

REVER UM ATO DE CONTEMPORANEIDADE

Maria Cecília França Lourenço

Projeto Releitura na Pinacoteca do Estado de São Paulo

MARCO DO VALLE REVISITA A ARTE E PENSA O PRESENTE

Sheila Leirner

PESADELOS DA RAZÃO

Alberto Tassinari

Catálogo de exposição no Gabinete de Arte Raquel Arnaud Babenco

1985

DEPOIMENTO

Marco do Valle

Arte novos meios/multimeios – Brasil 70/80

1986

A NOVA DIMENSÃO DO OBJETO

Aracy Amaral

Exposição no MAC-USP

1987

TALISMÃ

Marilena Chauí

1989

TOPOGRAFIA ARTIFICIAL

Paulo Venâncio Filho

Catálogo Artistas Brasileiros na 20ª Bienal Internacional de São Paulo

1990

TROPICAL BAZAAR

Edward Leffingwell

Revista Art in America

1991

PROCESSOS DE APAGAMENTO EM ESCULTURA MODERNA E CONTEMPORÂNEA

Marco do Valle

Dissertação de Mestrado defendida no Departamento de Comunicação da ECA-USP

1992

MELANCOLIAS

Abílio Guerra

1993

PROJETO PARA PALMANOVA

Grupo de Veneza

Bienal de Arquitetura de Veneza

Revista óculum

1994

MELANCOLIA 3

Jorge Coli

Exposição no MASP

A CIDADE E SEUS FLUXOS

Nelson Brissac Peixoto

Portal do Projeto Arte/Cidade 2

1997

ARTE TECNOLOGIA

Daniela Bousso

Catálogo da exposição Precursor e Pioneiros Contemporâneos, curadoria de Daniela Bousso, Paço das Artes

DO PALEOCIBERNÉTICO AO BIOTECNOLÓGICO

Ivana Bentes

Catálogo da exposição Precursor e Pioneiros Contemporâneos, curadoria de Daniela Bousso, Paço das Artes

ARTE BRASILEIRA: 50 ANOS DE HISTÓRIA NO ACERVO MAC-USP

Lisbeth Rebollo Gonçalves

Exposição no MAC-USP

2006

MARCO DO VALLE - HAARP RADIO

Daniela Labra

Exposição no Centro Universitário Maria Antônia - USP

2011

40 ANOS DO INSTITUTO DE ARTES

Marco do Valle

Jornal ô Xavante

2015

CONVERSAS COM O ACERVO DO MAV - MARCO DO VALLE

Sylvia Furegatti

2018

MARCO DO VALLE. ARTE XEROX. IMPRESSÕES-EXPRESSÕES.

Sylvia Furegatti e Julyana Matheus Troya

Projeto Estante de Livros e Cadernos de Artista do Instituto de Artes da Unicamp

SÓLIDAS MELANCOLIAS - MARCO DO VALLE

Julyana Matheus Troya

Exposição na Galeria de Arte da Unicamp

2019

SERIAÇÕES NA OBRA DE MARCO DO VALLE

Sylvia Furegatti

Exposição na Casa de Vidro de Campinas

solidas melancolias.jpeg

2018

SÓLIDAS MELANCOLIAS - MARCO DO VALLE

Julyana Matheus Troya

Exposição na Galeria de Arte da Unicamp

SÓLIDAS MELANCOLIAS - MARCO DO VALLE

A presente exposição póstuma apresenta um dos trabalhos mais importantes da vasta produção do artista visual, arquiteto e professor Marco do Valle. Sua poética, ora trabalhada para museus e galerias, ora para fora deles, é provocativa também academicamente, espaço onde pretendeu, e, ainda pretende através das pesquisas que agora suscita, discutir com as várias facetas do sistema da arte.


Da Melancolia I de Albrecht Dürer, símbolo de elevação da alma por meio da ligação ntre a razão, a ciência, a matemática, a divindade e a criação,  esta mostra compreende as melancolias de Marco do Valle – Melancolia 3 e Sólido de Melancolia I: síntese da relação de Deus com o homem de cinco sentidos,   abarcando portanto, um recorte da trajetória deste artista que se debruçou aos estudos da simbologia da gravura do e também ao esoterismo, aos símbolos maçônicos, ao cosmo, à geometria e aos instrumentos medievais da carpintaria e da arquitetura para realização deste trabalho. Em depoimento deixado por ele, feito no início de 1992, Marco do Valle anuncia este projeto como uma obra inacabada que seria, portanto, assim mantida.


Marco do Valle cria  Melancolia 3, movendo-se entre os extremos da talha em madeira da tradição escultórica às instalações com objetos inusitados como o negatoscópio e as lâminas de raio x. A partir desta ação, o artista aprofunda-se nos estudos dos sólidos geométricos e nos procedimentos da impressão em água-forte para realizar seu trabalho subsequente – uma tradução, apesar de criativa, fidedigna às técnicas utilizadas por Dürer.


Apesar de se tratar de um longo período da vida do artista (1992-2018), este trabalho apresenta apenas uma das facetas da multiplicidade artística de Marco do Valle – o que comprova seu comportamento sempre investigativo e contemporâneo, bem como seu interesse em produzir reflexões do interior da arte contemporânea.


Esta exposição traz algumas peças que foram restauradas e outras reconstruídas. Das mostras apresentadas na década de 1990, o MASP e no Salão Icarahy da Universidade Federal Fluminense, são apresentados documentos, fotografias e registros. Dos trabalhos recentes, nestes últimos dois anos, esboços e rascunhos do que se solidificou e também do que viria se desdobrar entre arte e vida – suas outras melancolias: pessoais, intelectuais e artísticas.

 


Julyana Troya
setembro de 2018

Fotografias por Melissa Vendite

press to zoom

Fotografias por Melissa Vendite

press to zoom

Fotografias por Melissa Vendite

press to zoom

Fotografias por Melissa Vendite

press to zoom
1/5